AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS

PROPOSTAS:

Atualmente existem 3 alternativas para solucionar o enorme problema de infra-estrutura aeroportuária da cidade dê São Paulo:

A primeira alternativa, é a construção de um terceiro aeroporto.

  • Porem essa Alternativa é Cara, já que toda estrutura teria que ser criada do zero;
  • Uma área adequada precisaria ser desapropriada;
  • A malha das companhias aéreas ficaria dividida em muitos aeroportos próximos um dos outros, o que aumentaria os custos e diminuiria a eficiência de sua malha de vôos.

    A segunda alternativa é dar continuidade ao terceiro plano diretor do Aeroporto Internacional de Campinas/Viracopos.

  • Porém o aeroporto esta muito distante de São Paulo, mesmo para um trem bala;
  • Também dividiria muito a malha das cias;
  • O trem só seria viável tecnicamente em uma freqüência de no mínimo 15 minutos, mas isso o tornaria economicamente inviável.

    A Terceira e cada vez mais distante alternativa seria dar continuidade ao Segundo plano diretor do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos:

  • que sofre devido aos alto custos de desapropriação;
  • Sua terceira pista é criticada devido ao tamanho, relevo da região e capacidade operacional da Terminal São Paulo.

    MINHA PROPOSTA:

    Acredito que a melhor alternativa seria um NOVO PLANO DIRETOR para o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos:

  • que elevasse a capacidade operacional;
  • Tornando viável arcar com os custos de desapropriação;
  • Evitando o alto custo de um novo aeroporto;
  • Evitando os problemas de transferir vôos para o distante Viracopos;
  • Não dividindo a malha das cias.

    PLANO DIRETOR ATUAL:

    O segundo e atual plano diretor do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos é esse:


    Além dos problemas já apresentados, este plano diretor apresenta mais dois sérios problemas:

  • O primeiro é que ele repete o erro do desenho dos terminais atuais.
    O fluxo das aeronaves é inadequado.
    As chegando tentam entrar aonde as que estão partindo tentam sair.
    O resultado são taxiways congestionadas e muito tempo de espera para um box livre.
  • O segundo problema e o acesso para a terceira pista.

    Se os novos terminais fossem satélites o fluxo das aeronaves seria infinitamente melhor e o acesso a nova pista muito mais rápido.

    NOVO PLANO DIRETOR:

    Com o intuído de solucionar todos esses problemas criei um novo plano diretor que poderia ser desenvolvido em fases.

    Esta é sua situação atual:


    Existe muito espaço reservado para a ampliação do aeroporto.
    Em uma hipotética primeira fase do projeto com um terminal com acesso do outro lado do aeroporto, um TPS satélite, uma nova “cargo city” e o pátio da aviação executiva ampliado.


    Aeroportos atuais utilizam Edifícios garagem ocupam bem menos espaço.
    Como o projeto de Guarulhos é da década de 70, temos enormes estacionamentos ao ar livre onde é possível aproveitar sua área para construir uma quarta pista e aumentar em muito a capacidade operacional do aeroporto agora com mais 2 satélites.


    Um novo TPS é construído onde hoje ficam os terminais de carga, permitindo mais um acesso aos satélites e aproveitando o atual acesso viário, melhorando o transito de veículos na região.
    Com o fim do antigo pátio de carga e do TECA um novo cargo city é construído no setor sudeste do aeroporto.

    A quarta pista inviabiliza o acesso dos atuais Terminais 1 e 2.
    Como seu desenho não é funcional em um futuro é possível construir ainda mais 3 novos satélites.

    As duas novas pistas, uma com 1800m para pousos e outra com 2400m para decolagens, poderiam ser utilizadas para aeronaves do porte de 737/A320 e da aviação regional no seu máximo peso de decolagem e pouso.
    As 2 pistas atuais, 3700m e 3000m, ficariam com os Wide Body, Cargueiros e com a aviação geral.

    O Resultado seria um aeroporto com:

  • 4 pistas;
  • Duas operações simultâneas;
  • Aproximadamente 100 operações por hora.
  • Dois terminais lineares incluindo a estrutura de acesso ao aeroporto
  • 6 satélites.
  • 84 posições para wide body ou 168 para narrow body.
  • Aproximadamente 150 milhões de pax ano. Algo muito superior aos 41.5 mi pax/ano do plano diretor atual e suficiente para suprir a infra-estrutura aeroportuária por muitas décadas.
  • 3 pátios para aviação regional.
  • Pátio de aviação geral ampliado.
  • 2 cargo city. Norte com 23 posições e Sul com 21 posições).

    CIRCULAÇÃO DA TERMINAL:

    Não basta apenas o aeroporto suportar operações simultâneas.
    A Terminal também tem que permitir tal circulação.

    Um estudo de circulação é altamente complexo, envolve a topografia da região, a performance das aeronave, a disponibilidade e precisão dos rádios auxílios, regras de separação do espaço aéreo, etc...

    Muito se questiona se uma nova pista no setor norte seria possível diante da topografia da região.
    Baseado nas stars já existentes fiz um breve estudo sobre uma possível circulação, lembrando que sua viabilidade só seria comprovada se todos os fatores já mencionados fossem considerados.

    É importante lembrar que pela minha proposta, as aeronaves são destinadas para cada pista (novas ou antigas) de acordo com a sua categoria e não de qual setor se aproximam como em outras Terminais.

  • Os traços em Marrom representam as chegadas e partidas do Aeroporto Internacional de Congonhas/São Paulo.

  • Os traços em Azul representam as chegadas nas pistas atuais do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos.
  • Os traços em Vermelho são as saídas das pistas atuais.

  • Os traços em Verde são as chegadas nas novas pistas propostas.
  • Os traços em Amarelo são as saídas das novas pistas propostas.

    Operações na 09:

    Operações na 27:

     AEROPORTO CAMPO DE MARTE

    Baseado no projeto de construção de uma nova pista para o Campo de Marte, criei este plano diretor:

  • Pista com aproximadamente 2000m, paralela a Guarulhos para não interferir no trafego;
  • Atual estrutura da aviação geral mantida;
  • O PAMA, Hasp e toda estrutura militar teria que ser desativada, com exceção das vilas militares;
  • 20 posições box para aeronaves do porte de 737/A320 e 12 fingers;
  • TPS com capacidade aproximada de 5mi pax ano;
  • Edifício Garagem;
  • Terminal de trem ligando o metro e trem bala até VCP.

    A aproximação da hipotética pista 09 interferia com as aproximações nas pistas 17 de Congonhas

    O pronto de cruzamento das trajetórias possuem uma separação vertical de 850fts aproximadamente.

    Se eventualmente aumentarmos o gradiente da rampa da 17R Congonhas e diminuirmos o gradiente da rampa da 09 de Marte é possível elevar essa separação.

    Para ver este projeto em seu Flight Simulator basta seguir as instruções abaixo:

  • Você precisa ter o São Paulo 2008 instalado;
  • Baixe o arquivo com os novos BGLs;
  • jogue os arquivos na pasta saopaulo2008/scenery;
  • Mova os arquivos mae.bgl, mae_afcad.bgl e mae_xml.bgl para outra pasta.